Arquivo do dia: 22 de outubro de 2009

Windows 7 e suas campanhas digitais

Microsoft lança novo sistema operacional e diversas ações digitais para promover produto.

Diversas campanhas foram criadas para promover o lançamento mundial do sistema operacional Windows 7, da Microsoft. No Brasil a campanha de divulgação leva o tema ‘Incrivelmente Simples’, desenvolvida pela agência Wunderman, a partir dos pilares simplicidade, segurança e velocidade, algumas das principais características do software.

A agência criou ações digitais e desdobramentos em anúncios para mídia impressa, TV, Cinema, ações em redes sociais e peças online como banners, rich media e intervenções. Será transmitido durante todo o dia de hoje, das 7h da manhã às 19hs, vídeos com depoimentos de internautas que testaram o novo produto.

“Esse é o maior movimento de aproximação direta com o consumidor final já praticado pela Microsoft no Brasil. Em todas as etapas, desde a concepção do produto até as ativações da campanha, a participação do consumidor foi constante, sendo a principal voz a ser ouvida”, destacou Paulo Sanna, vice-presidente de criação da Wunderman.

Entre outras ações no universo digital estão o “Top de 7 Segundos”, que consiste em uma vinheta para exibição em cinemas, sites de vídeos e TV à cabo, que destaca as principais características do novo sistema operacional, e o “Seven Second Demos”, que são vídeos demonstrativos, integrados à campanha online, que apresentam em sete segundos soluções utilizando as funcionalidades do Windows 7.

A agência Wunderman reuniu sete blogueiros ‘testers’ com a missão de experimentar o produto, criar demos em vídeo sobre as principais funcionalidades do Windows 7 e postar as experiências vividas na rede e em blogs. Até o final da campanha o grupo de blogueiros terá feito e postado 49 vídeo-demos.

Confira aqui o site do Windows 7

Anúncios

Comentários desativados em Windows 7 e suas campanhas digitais

Arquivado em Comunicação, Design, Economia, Marketing

Previsão do Tempo para o Sábado:

Sábado, 24/10
iconemanhã
iconetarde
iconenoite
31ºC
16ºC
Quantidade e Probabilidade de Chuva
0mm0%
Direção e Velocidade do Vento
ENE7km/h
Umidade relativa máxima e mínima

94%26%


Sol com algumas nuvens. Não chove.
anemometro


Comentários desativados em Previsão do Tempo para o Sábado:

Arquivado em Economia

O filme brasileiro de Woody Allen

images

Com a visão de publicitário que, mesmo quando está longe da agência, continua a pensar em vender algo de alguma forma, Claudio Loureiro, sócio-diretor da Heads Propaganda, iniciou a viabilização de um sonho: trazer o diretor de cinema Woody Allen para filmar por aqui. Ele estava de férias em Nova York com a família em janeiro de 2008 quando viu uma peça de busdoor sobre o País na linha “Visite o Brasil”. Loureiro observou aos filhos que aquela não era a melhor forma de anunciar o Brasil. Simplesmente não tinha apelo.

Em meio à conversa, Loureiro concluiu que uma excelente forma de mostrar o Brasil para o mundo seria por meio de um filme. E mais: tinha de ser dirigido por Woody Allen. Na opinião de Loureiro, o cenário ideal seria a cidade do Rio de Janeiro, que passou a conhecer mais depois de a Heads, que tem sede em Curitiba, ter aberto escritório na capital fluminense, após a conquista da conta da Petrobras. 

Da proposta inicial até o agendamento da primeira reunião com a equipe do cineasta, foram oito meses. Porém, o encontro só aconteceu em maio deste ano. Nesse período, o time da agência teve papel fundamental no desenvolvimento do projeto a ser apresentado. Partindo de fragmentos do longa Vicky, Cristina, Barcelona, de Allen, foi finalizada uma proposta encaminhada à irmã do diretor, Letty Aronson, e ao agente do cineasta, Stephen Tenenbaum. Na ocasião, o publicitário discutiu a viabilização do filme no Rio e teve uma breve conversa com o diretor. 

Depois, Loureiro foi convidado a acompanhar filmagens que o cineasta estava conduzindo em Londres, em junho passado. A partir dessa experiência, aumentou sua aproximação com a equipe de Allen. “Acertamos a vinda deles para cá em outubro. Então, comecei a pensar em produtoras interessadas em participar do projeto.” Loureiro conversou com a O2 e a Conspiração. “Durante a visita da equipe, elas mostraram a capacidade de produção que o Brasil tem”, ressalta. 

Fundo
A primeira reunião foi com a O2. A Conspiração veio em seguida. E fez uma proposta concreta para a viabilização financeira do projeto. Para Pedro Buarque de Hollanda, diretor-presidente da produtora, a confirmação da Conspiração não foi diretamente ligada à escolha do lugar. Eles tinham planos para filmar no Rio e em São Paulo. “A produtora foi eleita pelo modelo de negócios que apresentamos; e o Rio, pelas locações disponíveis na cidade e pelo apoio do governo local”, esclarece. 

Segundo o projeto da Conspiração, 15% da verba do filme seriam captados por leis de incentivo, como a da Ancine. Há também o apoio das secretarias de Cultura municipal e estadual, por meio do Rio Global. Durante a audiência com a irmã e o agente de Allen, o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes se dispuseram a investir R$ 3 milhões. 

O restante do projeto (85%) viria por meio de um fundo de investimentos com recursos somente da iniciativa privada. “Podem pensar que, pelo fato de a Heads ser uma das agências da Petrobras, teríamos uma grande ajuda. Mas isso iria contra os esforços que estou fazendo no sentido de passar uma lição a meus filhos”, diz Loureiro, que quis desvincular o anunciante justamente por estar em sua carteira de clientes. Ele garante que o fundo em regime de private equity – em que os investidores recebem parte dos lucros do filme – já está com as cotas fechadas, porém não anuncia quais empresas fazem parte. 

“Isso foi possível por conta do histórico de vendas que Woody Allen conseguiu nos seus últimos filmes no mundo inteiro. Pudemos mostrar parâmetros realistas de retorno para os investidores, fazendo com que o risco dele diminuísse muito”, afirma Hollanda. 

Segundo ele, o projeto é uma coprodução, não apenas um production service. A Conspiração irá estruturar a parte econômica, ajudará a montar a produção, com participação muito relevante no equity do filme. “Woody Allen já se mostrou aberto a usar equipe local, inclusive atores, fotógrafo e chefes de equipe”, conta Hollanda. Se tudo der certo, as filmagens acontecem em julho e agosto de 2012. “Ele faz um filme por ano e já está com a agenda comprometida para 2010 e 2011”, explica.

Tenenbaum e Letty ficaram nove dias no Brasil. Visitaram cidades como Angra dos Reis e Parati na companhia de Steve Solot, diretor da Rio Film Comission, e Leonardo Monteiro de Barros, produtor da Conspiração. A equipe de Allen ficou entusiasmada com cenários como o Theatro Municipal. 

A decisão agora está com Woody Allen, que nunca visitou a América do Sul. A expectativa é que a resposta definitiva saia no primeiro trimestre do ano que vem.

Comentários desativados em O filme brasileiro de Woody Allen

Arquivado em Comunicação

Marca Tartarugas Ninja é vendida por US$ 60 mi

Tartarugas_Ninjap

As Tartarugas Ninja, que há 25 anos surgiram nas telinhas e nos cinemas para conquistar uma legião de fãs, possuem novos donos. Pela quantia de US$ 60 milhões, o grupo Viacom, dono do estúdio de cinema Paramount, adquiriu o direito de uso da marca Tartarugas Ninja no cinema, na TV, nos seriados, nos games e em todos os produtos licenciados que já foram produzidos em nome do quarteto de répteis.

Antes de ser comprado pela Viacom, o direito de marca das Tartarugas Ninjas (que, no original, em inglês, chama-se Tennage Mutant Ninja Turtles) pertencia ao Mirage Group e 4Kids Enterntainment. A partir de agora, o grupo de mídia passa a ser a única instituição autorizada a produzir novos conteúdos e a distribuir os direitos das criações estrelados por Rafael, Michelangelo, Leonardo e Donatello.

De acordo com informações divulgados, a Paramount já prepara uma nova sequência cinematográfica para mostrar as aventuras quarteto. O filme deve estrear em 2012. O canal infantil Nickelodeon – também de propriedade da Viacom – anunciou que irá produzir, também para o mesmo ano, uma nova série, em 3D, com os personagens que marcaram a infâncias de algumas gerações.

Com informações da Folha Online.

Comentários desativados em Marca Tartarugas Ninja é vendida por US$ 60 mi

Arquivado em Marketing

Intenção de compra no varejo cresce no 4º trimestre

Sem título“A Pesquisa Trimestral de Intenção de Compra no Varejo” realizada pelo Programa de Administração do Varejo (Provar) & Laboratório de Finanças (Labfin), da Fundação Instituto de Administração, da Fundação Instituto de Administração (FIA), em parceria com a Felisoni Consultores Associados, mostrou que o índice de consumidores que pretendem comprar no quarto trimestre de 2009 subiu para 77%, contra 74,2% no mesmo período do ano passado.

Esse percentual é o maior da década 2000. O estudou tomou como base 500 consumidores da cidade de São Paulo, analisando as intenções de compras e gastos dos consumidores em dez diferentes categorias: Linha Branca, Eletroeletronicos, Telefonia Celulares, Informática, Automóveis e Motos, Cine e Foto, Material de Construção, Cama, Mesa e Banho, e Móveis e Eletroportáteis.

Entre os itens listados acima lideram as intenções de compra: Cine e Foto, seguido de Informática – que apresentou uma ligeira queda em relação a 2008, assim como o terceiro colocado no ranking, os produtos Eletro-eletrônicos, que praticamente está empatado com Telefonia e Celulares, com 10,8% e 10,6% de intenção, respectivamente.

Outra categoria que apresentou queda significativa foi Automóveis e Motos, com a qual os consumidores pretendiam gastar no trimetre anterior, em média, R$ 20.821,00, enquanto que no quarto trimestre essa estimativa caiu para R$16.667,00, o que representa uma retração de 24,9%. Já em relação ao mesmo período do ano anterior, o valor significa uma retração de 14,4%.

O estudo também revelou que a intenção de compra de bens duráveis para o último trimestre do ano cresceu 4,3% se comparado com 2008 e 3,8% em relação ao terceiro trimestre de 2009.

Outra característica apontada na pesquisa é o aumento do uso de crédito para o pagamento das compras. Esse crescimento pode ser observado em todos os segmentos avaliados. Já em relação às compras pelas internet, a análise mostra uma estabilidade no setor, com 86% dos entrevistados afirmando que tem a intenção de comprar pelo menos um dos itens listados. Se comparado com o último trimestre de 2008, houve uma queda de 5,4%.

Brinquedos é o segmento que apresenta o crescimento mais expressivo, com 107% a mais do que o trimestre anterior. As outras categorias tiveram desempenhos estáveis quando comparados essas épocas.

O cenário muda para esses segmentos quando comparamos seu desempenho atual com último trimestre do ano anterior, é perceptível uma queda em quase todos os produtos, exceção feita ao Brinquedos, aumento de 14,4% e Linha Branca, crescimento 13,3%.

Comentários desativados em Intenção de compra no varejo cresce no 4º trimestre

Arquivado em Economia

Foi lançado o Adobe Lightroom 3 !

lr-3

A Adobe® acaba de disponibilizar sua nova versão 3 do Lightroom®, ainda Beta, para feedback dos usuários.
O link para download é no site Adobe Labs, e uma série de mudanças devem ser testadas em relação a versão atual, a 2.5.
Não é necessário possuir uma licença para usar esta versão Beta.
Atenção: Esta versão é apenas de testes, provavelmente com todas as configurações e ferramentas diferentes da versão final.
O mais importante é não importar seus catálogos de versões anteriores para o LR3 Beta, e não usar esta versão para trabalhos do dia-a-dia.

10 principais destaques:
1-) Performance e qualidade de imagem; o aplicativo foi reescrito para que um único catálogo possa ser usado, sem perda de performance, com os arquivos de alta resolução e peso das câmeras modernas. Mais imagens podem ser gerenciadas nesse catálogo. No quesito qualidade, um novo algoritmo de “demosaicing” foi utilizado no processamento de imagens Raw (ou DNG), privilegiando tanto a redução de ruídos quanto a nitidez; é possível a escolha do novo processamento ou do antigo, em imagens já processadas anteriormente em outras versões do programa.
2-) Janela de Importação: Totalmente redesenhada, com versão expandida ou compacta, mais integrada com o visual do LR e mais intuitiva.
3-) “Publish Collections” que fazem upload de imagens para o Flickr e iPhones, direto do Library. Possibilidade de ler os comments do Flickr de dentro do Lightroom.
4-) Nova ferramenta de grão (Grain) e vinheta (Vignette) com mais controles, “Color Priority” e “Highlight Priority”.
5-) Exportação do Slideshow, em formato .mov, com música, H.264 movie format.
6-) Marca d’água flexível, com diversas opções de posicionamento e efeitos.
7-) Backup ao encerrar o programa, ao invés de backup no início (adorei essa!).
Lightroom 3 importa arquivos CMYK.
9-) Coleções no módulo Develop.
10-) Qualquer cor pode ser usada como fundo da imagem no módulo Print.

Lightroom Beta e o Adobe Camera Raw: O processamento avançado do LR3 ainda não está implementado no ACR; ao usar o LR3 para processamento de suas imagens, o resultado pode ser bastante diferente do resultado do Camera Raw 5 plugin. Este sincronismo só vai acontecer na versão final do Lightroom 3.

ATENÇÃO: NÃO USE o LR3 Beta para seu trabalho, esta é apenas uma versão de testes.

Links para informações mais detalhadas deste lançamento:
Tom Hogarty – Lightroom Journal Blog
Adobe (fórum) – Lightroom 3 at Labs
Sean McCormack – Lightroom Blog
Richard Earney – Inside Lightroom
Jeffrey Friedl – Jeffrey Friedl’s Blog (Plugins)
Victoria Bampton – Lightroom Queen
Gene McCullagh – Lightroom Secrets
Melissa Gaul – Melissa’s Twitter
Ian Lyons – Computer Darkroom
John Beardsworth – Beardsworth News
Download do Lightroom 3 – Adobe Labs

2 Comentários

Arquivado em Design

Metro anuncia chegada ao ABC

Título gratuito, que já circula em São Paulo, terá campanha criada pela Lua Branca e promotores distribuindo exemplares em 40 pontos

metro

O Metro, jornal de distribuição gratuita resultado de uma joint-venture do Grupo Bandeirantes de Comunicação e da Metro Internacional, lança nesta sexta-feira, 23, uma edição exclusiva para a região do ABC – Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano. 

A primeira distribuição será feita por promotores espalhados em mais de 40 pontos estratégicos das três cidades, que irão distribuir cerca de 30 mil exemplares por dia de circulação, auditados pela BDO Trevisan. Segundo o presidente do Metro, Marcello D’Angelo, existe no ABC uma demanda por um jornal do perfil do Metro. “A região tem um potencial importante e adequado ao nosso modelo”, afirma. 

A nova operação vai mobilizar diariamente cerca de 80 pessoas, entre produção jornalística, comercialização e distribuição. “Já temos uma redação dedicada exclusivamente à região e todos os profissionais foram recrutados na localidade “, destaca D’Angelo.

A campanha para divulgar a novidade estará a cargo da Lua Branca e terá um teaser como largada. Anúncios nos veículos dirigidos aos anunciantes, além de outdoors, mobiliário urbano e painéis eletrônicos nas cidades do ABC, destacam a novidade com o slogan: “Chegou Metro. O jornal que fala a língua da sua cidade”. Spots de rádio e comerciais de televisão também integram o pacote publicitário. 

A primeira edição do Metro no Brasil foi lançada em São Paulo em maio de 2007. Presente em 20 países, o Metro soma mais de 10 milhões de exemplares de circulação diariamente em todo o mundo, segundo comunicado da empresa. É citado também uma pesquisa do Instituto de pesquisas Ipsos Marplan que aponta o Metro São Paulo como o jornal que mais cresce em número de leitores na capital paulista e um portfólio de 500 anunciantes que já veicularam anúncios.

Comentários desativados em Metro anuncia chegada ao ABC

Arquivado em Comunicação, Marketing